Guarda corpo ou corrimão de madeira?

Guarda corpo ou corrimão de madeira?

Por mais que os vãos presentes em uma escada de madeira ou uma varanda sejam vistos como coisas muito corriqueiras em uma casa ou estabelecimento comercial, ambos são tidos como pontos críticos para um dos acidentes domésticos mais comuns: as quedas.

De acordo com o Ministério da Saúde, no caso dos idosos, 70% desses incidentes acontecem dentro de casa. Deles, 30% resultam em morte, e 40% em lesões graves.

Médicos afirmam que o enfraquecimento do tecido muscular e esquelético os torna especialmente propensos a tais acidentes.

A boa notícia é que essas ocorrências, bem como suas consequências, são evitáveis: basta instalar itens de segurança nos locais onde as quedas acontecem com mais frequência.

Em escadas e mezaninos, por exemplo, é interessante contar com um guarda corpo e um corrimão. Como ambos estão disponíveis em diversos modelos e são fabricados com várias matérias-primas, não será difícil encontrar um que se encaixe na decoração de sua casa ou estabelecimento comercial.

Quer aprender mais sobre isso? Então continue lendo e confira algumas informações importantes sobre um dos modelos mais populares dessas estruturas: madeira.

Para que serve um guarda corpo?

Tanto um guarda corpo de escada quanto um que seja instalado em outro local, como uma varanda ou um mezanino, têm a mesma função: criar uma barreira a meia altura que evite quedas. Essa estrutura pode ser feita de diversos materiais, tais como:

  • Alvenaria;

  • Alumínio;

  • Aço inox;

  • Madeira.

Devido às suas características, edifícios altos e casas de mais de um pavimento costumam contar com essa estrutura já em seu projeto básico. Deste modo, seus futuros moradores não têm que se preocupar com isso.

Vale ressaltar que, devido ao fato de os guarda-corpos serem itens de segurança, sua instalação deve seguir alguns preceitos básicos fixados pelos órgãos competentes.

Eles estão incluídos na NBR 14.718, editada em 2001 e revisada em 2008 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Para que serve um corrimão?

Além do guarda corpo, há outro item de segurança que costuma estar presente em locais onde a ocorrência de quedas é mais frequente: os corrimãos.

Seja ele um corrimão de madeira para escada interna ou para uma rampa externa, ele é essencial para que as pessoas que transitam pela estrutura tenham como se apoiar, o que, por sua vez, evita que elas caiam.

Ele também pode ser fabricado em uma série de materiais, desde ligas metálicas aos mais diversos tipos de madeira.

Vale ressaltar que, como esse também é um item de segurança, ele merece cuidado em sua instalação. Nesse caso, há mais de uma norma a ser seguida: enquanto a NBR 9050 dita as normas sobre acessibilidade, a NR 18 regula o ambiente em construções e, consequentemente, a presença em corrimãos.

Vale a pena comprar esses itens em madeira?

Poucos materiais são tão clássicos no mercado de reforma e construção quanto a madeira. Isso pois, além de ser resistente, ela tem uma aparência clássica e está disponível em diversas cores e texturas. Desse modo, é praticamente impossível não achar algum tipo que se encaixe em seu projeto decorativo.

No caso dos guarda-corpos e do corrimão de madeira, há, ainda, outra vantagem: essa matéria-prima não é lisa. Desta madeira, ela proporciona boa aderência a quem precisa se apoiar na peça para subir ou descer uma escada ou rampa, prevenindo acidentes e, ao mesmo tempo, deixando o ambiente mais bonito.

Quais são os cuidados a se tomar?

Assim como no caso de qualquer outro material de construção, a compra de guarda-corpo e corrimão de madeira exige alguns cuidados.

Do contrário, você pode se ver às voltas com um item de má qualidade, que terá que ser substituído em um curto período de tempo.

A primeira precaução a ser tomada tem a ver com o fornecedor escolhido para a compra: é fundamental que essa madeireira tenha uma boa reputação no mercado. Assim, garante-se que a matéria-prima terá boa procedência.

Do mesmo modo, é essencial que a madeira escolhida seja devidamente tratada para a maneira como ela será usada.

Na prática, isso significa que o fabricante deve fazer a aplicação de produtos químicos que combatam pragas que normalmente afetam esse material, como os cupins.

Por mais simples que isso seja, trata-se de uma medida com muito potencial para prolongar a vida útil dessa estrutura, postergando a data de sua substituição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *