Entenda como funciona uma imobiliária

Entenda como funciona uma imobiliária

Enquanto boa parte da população busca uma imobiliária de imóveis para realizar o sonho da casa própria, ou mesmo para realizar uma simples locação, outros indivíduos têm uma visão bastante diferenciada sobre esse mercado.

Para eles, o investimento em casas e apartamentos têm apenas o objetivo de obter lucro e multiplicar o patrimônio.

No entanto, ao contrário do que muita gente pensa, isso é muito mais complexo do que simplesmente comprar uma unidade e torcer pela valorização imovel: é preciso entender como este mercado funciona, de modo a fazer investimentos certeiros que darão o retorno almejado.

Quer entrar no universo dos investidores em patrimônio imobiliário? Então confira algumas informações importantes a respeito dele a seguir:

  1. Uma imobiliária de confiança é fundamental

Ao se realizar uma transação imobiliária, é importante para ambas as partes (comprador e vendedor) que o negócio seja intermediado por um especialista de confiança.

Isso significa que é preciso procurar por estabelecimentos, como a Imobiliária Atual Imóveis, para que eles intermediem a transação. Normalmente, cobra-se uma pequena taxa de quem está vendendo, calculada sobre o valor do imóvel em questão.

A necessidade de arcar com esse valor faz com que muitas pessoas dispensem os intermediários e prefiram fazer os negócios de forma direta. Por mais que esta opção seja mais barata, ela também traz desvantagens, como:

  • Mais dificuldade para divulgar o imóvel;

  • Possibilidade de sofrer golpes;

  • Não ter orientação na parte burocrática;

  • A possibilidade de avaliar o imóvel de forma incorreta.

Por conta disso, é interessante que o trabalho fique nas mãos de profissionais. Quando há um estabelecimento de respeito no jogo, ambas as partes ficam mais seguras ao longo de todo o processo.

  1. É possível melhorar a valorização

O que motiva pessoas para que elas entrem no mercado imobiliário é apenas um fator: a valorização da unidade adquirida.

Trata-se de um fenômeno no qual o imóvel vai ganhando valor gradativamente ao longo do tempo, seja por aspectos da própria unidade ou por fatores que acontecem em seus arredores, como a melhora da segurança pública, a abertura de estabelecimentos comerciais, a especulação imobiliária, etc.

Entretanto, a valorização de imóveis jamais deve ser dada como garantida. Um dos motivos para tal, como veremos a seguir, é o fato de que este mercado – como qualquer outro – é cíclico, alternando períodos de retração e bonança.

O outro é que, como visto anteriormente, o proprietário nem sempre tem controle sobre os fatores da valorização. Uma piora na segurança pública da região, por exemplo, pode fazer com que a unidade perca valor.

Por conta disso, é essencial que o investidor faça tudo que está a seu alcance para fazer com que seu imóvel valha mais. Algumas alternativas interessantes para isso são:

  • Instalar acabamentos mais refinados;

  • Instalar móveis planejados;

  • Manter a pintura em dia;

  • Promover melhorias nas áreas comuns do condomínio, se houver.

Da mesma forma, é preciso ter cautela ao se fazer uma aquisição. O investidor deve sempre preferir a compra de unidades em vizinhanças historicamente nobres e valorizadas.

Também vale a pena ficar de olho em construções de espaços, como shoppings e terminais de transporte público, que tendem a tornar os arredores mais valorizados.

  1. O mercado imobiliário é cíclico

Nem todos os momentos são bons para comprar, e nem todos os momentos são bons para vender. Quem sabe como investir no ramo imobiliario já domina estas variações e costuma usá-las a seu favor.

De modo geral, este ciclo se divide em quatro etapas. São elas:

  • Expansão;

  • Excesso de ofertas;

  • Recessão;

  • Recuperação.

Por mais pessimistas que algumas pareçam, é sempre possível trabalhar com elas de modo a maximizar os retornos. Por exemplo, durante a recessão, a procura cai, o que também puxa os preços para baixo.

Assim, quem tem um valor disponível para investir pode fazer uma aquisição nessa fase, para vendê-la ou alugá-la na época de expansão. Neste período, como todos estão em busca de um imóvel, a lei de oferta e procura entra em ação, inflando os valores.

Por outro lado, quem busca comprar apenas para investir deve evitar fazê-lo em períodos nos quais o mercado está demasiadamente aquecido. À medida que o ciclo avança, pode ser que seu valor caia, e leve um tempo considerável para se recuperar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *