Pintura predial: passo a passo

Pintura predial: passo a passo

É inevitável. De tempos em tempos, chega à hora de pintar o prédio e, então, surge uma série de procedimentos administrativos e financeiros que devem ser observados, como também escolher entre inúmeras empresas no mercado e todas as possibilidades de tintas, cores e novos materiais que podem ser empregados.

Saiba mais sobre a importância da pintura predial

A Pintura de fachada predial interna e externa, exige procedimentos convenientes a fim de agilizar o processo e melhor qualidade no resultado final. O acompanhamento por um técnico (que pode ser um profissional da empresa que irá refazer a pintura predial) é necessário também para avaliar a condição das paredes, corrigindo as anomalias existentes, verificando também a presença de regiões com sons ocos e fazendo as correções antes da pintura predial, como fissuras, infiltrações, etc.

Os serviços de pintura predial, tanto para empreendimentos novos quanto para manutenção de edificações já em uso, comumente são executados por empresas de pequeno porte. O acordo entre as partes deve ser formalizado por meio de contrato de prestação de serviços, em que devem ser indicados itens como prazos de entrega e as especificações mais importantes dos materiais a serem utilizados, como o padrão das tintas. O termo de contratação também deve indicar com clareza as áreas da edificação que serão pintadas, assim como detalhes sobre a Pintura. Ou seja, cor, tipo e padrão de tinta, acabamento etc.

Como é relativamente comum que prédios tenham cores diferentes em uma mesma face da fachada, isso deve ser claramente especificado para a empresa contratada.

Além disso, tintas e demais materiais envolvidos no processo de pintura são classificados por tipo e têm qualidade e desempenho diversos entre si. Dessa maneira, tais características devem ser acertadas antes da execução. Em conjunto com a pintura de um edifício novo, há serviços que podem e, conforme o resultado desejado, devem ser realizados antes da aplicação da tinta em si. Em uma obra nova, quando é feita a primeira pintura, o substrato é novo e precisa ser tratado por sistema de pintura específico.

Para áreas internas, podem ser usados qualquer dos três tipos existentes de tinta, que variam conforme o desempenho: premium, standard e econômico. No caso do econômico, o acabamento é sempre fosco. No entanto, a tinta padrão econômico só pode ser usada em áreas internas. Também depende de especificação do contratante o tipo de acabamento desejado.

Passo a Passo:

1º Passo – Limpeza e lixa: Lixa-se com cuidado e detalhe paredes externas, removendo a poeira e outras imperfeiçoes;
2º Passo – preparação da tinta: atentar-se que ambientes externos exigem tintas com excelente durabilidade, as do tipo acrílico (específicas) são recomendadas;
3º Passo – corrigir imperfeições: Preparar a fachada com as devidas correções através da massa acrílica;
4º Passo- uniformidade: Para um bom resultado, deixar a parede lisa, removendo todos os excessos da massa aplicada;
5º Passo – selador: Aplica-se a primeira camada de selador e deixe secar;
6º Passo – pintura: Neste estágio, para pintura predial ser produtiva são necessários equipamentos especiais, tanto para a pintura, como para o pintor.

Internamente, os procedimentos são os mesmos, porém situações como, o tipo de tinta e horários de execução da obra são diferentes. Além disso, possui maiores detalhes como portas e janelas:

  • Inicia-se pelo teto;
  • Depois paredes;
  • Em seguida portas e janelas;
  • A pintura final são os rodapés.

A empresa contratada para a pintura predial ou Pintura externa de casas deverá seguir as recomendações da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), seguindo a NBR 15079/2011, que trata sobre as tintas para construção civil.

O condomínio deve estar atento a essa norma regulamentadora, que especifica a qualidade dos materiais, sem identificar preços ou marcas, utilizando apenas as indicações e não seguindo orientações da empresa com relação às marcas, que podem ter uma grande variação em seus preços.

A empresa contratada para a pintura também deverá tomar alguns cuidados como não aplicar Pinturas sobre emboços pulverulentos ou com baixa resistência da superfície, ou em áreas com substratos úmidos, sobre áreas onde a água possa acumular (que devem ser corrigidas antes da pintura). A norma regulamentadora da ABNT que pode auxiliar o condomínio na resolução de dúvidas com relação aos requisitos básicos e critérios para os padrões de qualidade na conservação da pintura predial é a NBR 15575/2013.

Essa norma estabelece as regras para as construtores, prestadoras de serviços e fornecedores, atendendo um padrão para a construção civil, observando, entre outros, os critérios de vida útil para a Pintura de fachada predial, as texturas e os revestimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *